ESPECIAL #ClampDay: A incrível jornada de Tsubasa

Olá, amigos! Este é um post especial dentro da série que estou fazendo sobre o CLAMP, pois faz parte do #ClampDay. Apresento a vocês Tsubasa: RESERVoir CHRoNiCLE, o mangá mais extenso e também maior crossover já criado pelas nossas queridas mangakás. Então, o que está esperando? Pegue carona nas asas do Mokona e embarque junto nesta jornada! 😀

 Tsubasa RESERVoir CHRoNiCLE

 (ツバサ RESERVoir CHRoNICLE)

 Site oficial (CLAMP-net.com)

+ Foi publicado entre maio de 2003 e outubro de 2009 na  Shonen Magazine, revista semanal da editora Kodansha, totalizando 28 edições em formato tankohon  .

+ No Brasil foi publicado pela Editora JBC, com 56 edições em formato meio -tankohon.

+ O mangá ganhou uma série animada dividida em 2 temporadas de 26 episódios cada. Foi produzida pelo estúdio Bee Train e exibida no Japão pelo canal NHK.

+ Além do anime, a série ganhou um filme e 2 OADs:

– Gekijōban Tsubasa CHRoNICLE Torikago no Kuni no Himegimi (Tsubasa CHRoNICLE – O Filme: A Princesa do País da Gaiola), exibido nos cinemas japoneses em agosto de 2005;

 – Tsubasa – TOKYO REVELATIONS, OAD com 3 capítulos lançados nas edições 21 a 23 do mangá;

 – Tsubasa: Shunraiki, OAD com 2 episódios lançados nas edições 26 27 do mangá.

Ei, já não vi você em algum lugar?

Que o CLAMP é famoso por seus crossovers em seus mangás, isso todo mundo já sabe. Mas no caso de Tsubasa isso foi levado a um novo patamar. Foi o título que reuniu mais personagens de outros títlos já visto, deixando pouco espaço para personagens originais.

Quem, por exemplo, não conhece os protagonistas de Cardcaptor Sakura que atire a primeira pedra! XD

Bom, como ninguém atirou, não preciso apresentar Sakura e Syaoran (ou Shoran, como ficou na dublagem do anime e no mangá nacional. No caso estou usando a escrita original). A surpresa que os fãs tiveram ao lançamento da história na Shonen Magazine foi enorme: quem imaginaria que a gente os reencontraria em uma nova aventura? Só que aqui não temos mais os caçadores de cartas. A princípio, inclusive, não tem nenhuma ligação com CCS. São velhos personagens em novas situações e em um novo mundo, conhecido como o desértico Reino de Clow. E desta vez o garoto (ou melhor, o jovem, pois tanto ele quanto Sakura estão mais crescidos aqui) é o herói da história.

A princesa e o plebeu

Aqui, Syaoran é filho de Fujitaka (sim, o pai de Sakura em CCS), um arqueólogo já falecido há algum tempo. O jovem continua o trabalho do pai, pesquisando as ruínas de uma desconhecida construção. Chegando em sua casa recebe a visita de Sakura, a princesa do reino e amiga de infância. Apesar de serem amigos, a suposta distância que separa uma princesa de um mero arqueólogo parece dificultar uma aproximação maior (se é que me entendem), o que os impede de dizer o que realmente sentem um pelo outro. Sakura até tenta quebrar essa barreira, mas é impedida pelo som dos sinos do castelo. Já era tarde, e ela precisava voltar para casa. Além do mais fazia isso escondida do irmão Touya, o rei de Clow, que não vai muito com a cara de Syaoran (como podem notar, apesar de ser outra história certas situações não mudam). Junto ao rei e a princesa está Yukito, amigo de Touya e sumo-sacerdote do reino. Yukito viu em suas previsões que a princesa tem um grande poder, embora ainda desconhecido. Viu também que o destino de alguma forma uniu Syaoran e Sakura, mas ambos passariam por uma série de provações dificílimas.

No dia seguinte, Sakura visita Syaoran nas escavações. Do nada surge um forte tremor de terra. A princesa entra em um estado de transe e  começa a flutuar para o alto da construção. De suas costas aparecem asas, que se dissipam para todos os lados quando Syaoran a resgata. Só que a princesa estava desacordada. Ao se encontrarem com o rei e o Sacerdote, este último diz que as “penas” das asas de Sakura eram, na verdade, as suas recordações, e que sem elas a princesa poderia não sobreviver. Numa rápida atitude Yukito os transporta para um outro mundo, onde uma feiticeira poderia ajudá-los. Mas Syaoran e Sakura não estariam sozinhos nesta aventura.

 O ninja e o mago

Enquanto isso, em locais e dimensões distintos do Reino de Clow, nós conhecemos os demais protagonistas desta aventura. O primeiro deles é Kurogane, o mais forte ninja do Reino de Nihon, um mundo semelhante ao Japão feudal. Tão forte que dizima sozinho e sem esforço um grupo de assassinos que planejava invadir o castelo do reino – e ainda fica convencido com isso. A atitude do ninja não agrada a princesa Tomoyo, que não queria uma matança desnecessária, e resove mandá-lo a outro muno, a fim de aprender o que é ser forte de verdade.

Em outro ponto distante no espaço e tempo, está o Reino de Ceres. Aqui o mago Fay (ou Phi, como descrito no mangá brasileiro. Novamente uso a grafia do site do CLAMP) deixa aos cuidados de Chi (personagem de Chobits) um homem aparentemente adormecido em um reservatório de água (o homem em questão é o Rei Ashura de RG Veda). Ele parte também ao encontro da tal feiticeira.

A feiticeira e o “maria-mole”

Assim, o jovem arqueólogo e a princesa, mais o ninja e o mago, se encontram quase simultaneamente no mesmo lugar, a loja de Yuko Ichihara, a feiticeira das dimensões (e uma entre os protagonistas de xxxHOLiC), e que pode realizar qualquer desejo, desde que se pague o devido preço. Syaoran deseja viajar para outros mundos para encontrar as recordações de Sakura. Kurogane quer voltar para o reino de onde saiu. Já Fay deseja ir para um mundo bem distante de onde veio. Embora de modos diferentes, o desejo de ambos é o mesmo: viajar para outros lugares diferentes de onde estão. Yuko não pode realizar seus desejos individualmente, então propôs que viajassem juntos para que o preço fosse pago de forma justa por todos. E tinha que ser algo de muito valor a eles. Kurogane, a contragosto, entregou sua espada. Fay teve sua tatuagem nas costas entregue. E Syaoran teve que dar em troca as lembranças de Sakura em relação a ele. Um precinho bem caro, mas que não pensou duas vezes em aceitar.
Para acompanhá-los na aventura, Yuko entrega a eles um ser bem conhecido dos fãs, o simpático Mokona, que serve como meio de transporte e comunicação, através de outro Mokona, este de cor preta. Mas sobre este comento em outro post…
E assim começa a aventura através das dimensões em busca das asas/lembranças da princesa, que vai além disso. Ah, sem que soubessem, um misterioso mago acompanha nossos aventureiros, e junto dele descança um ser que parece ter a mesma aparência de Syaoran…

Escrevi bastante, mas Tudo o que falei até aqui é apenas o começo da aventura.

Deu o que falar…

Tsubasa era uma novidade para os fãs do CLAMP desde seu início por diversos motivos. Além da presença dos protagonistas de Cardcator Sakura (e Mokona, de Rayearth) logo no início, um vasto elenco de personagens do quarteto de autoras se fez presente. E olha que pra mim faltaram alguns. (Por quê Kotori e Hokuto não entraram, CLAMP? POR QUÊ?!) Este também foi o primeiro título semanal das autoras, e logo na Shonen Magazine, que só perde para a Shonen Jump em popularidade entre as antologias de mangás para garotos. Isso sem falar de sua conexão com xxxHOLiC, que amplia a compreensão da história, apesar de não ser obrigatória a leitura de ambas. Essa conexão começa de leve, mas ganha importância com o desenrolar da história.

Quando Cardcaptor Sakura encontra X

O que aconteceria se os protagonistas do mangá mais simpático e popular do CLAMP se cruzassem com os Dragões do Céu e da Terra? Tsubasa responde esta pergunta, na fas que é, sem dúvida o ponto alto da história. O resultado? Uma completa reviravolta na trama. É claro que não vou citar spoilers, mas também não poderia deixar de falar deste ponto da história. O mangá, que começou como uma leve aventura, chegou próximo aos níveis de X em termos de dramaticidade e ação (leia violência, se preferir). Tanto que a TV NHK não quis exibir esta fase na série animada, encerrando com a mesma. Felizmente existem os OADs para isso.

Apesar dos rumos e da confusão complexidade dos fatos da reta final (confesso que li mais de uma vez pra conseguir entender!), o que dividiu os fãs, sem dúvida Tsubasa tem seu lugar entre os grandes títuloes do CLAMP. Além de matar a saudade de vários de seus pesonagens clássicos, inovou em conectar-se com xxxHOLiC, outra trama que poderia seguir seu caminho sozinho, mas que se completa com as aventuras dos viajantes das dimensões.

Mas xxxHOLiC é assunto para um outro post. Até lá! ^_^

————————————————————————————

Conheça os demais participantes do #ClampDay:

Another Warehouse >Kobato.

Anime Portfilo > Chobits (Anime)

Emile Escreve > Cardcaptor Sakura (Anime)

Kono Ai Setsu > Miyuki-chan in Wonderland

Mangathering > Wish

Mundo Mazaki > Tsubasa Chronicle (Anime)

Xtreme Divider > Guerreiras Mágicas de Rayearth (Mangá)

CAST! Mangá > xxxHoLiC (Mangá)

Hakuren > Podcast sobre a CLAMP

Otomenerd > Code Geass (Anime)

Este post foi publicado em 21/05/2012 às 00:14. Ele está arquivado em CLAMP e marcado . Guarde o link permanente. Seguir quaisquer comentários aqui com o feed RSS para este post.

7 opiniões sobre “ESPECIAL #ClampDay: A incrível jornada de Tsubasa

  1. Pingback: Kobato. – O amor desenhado pela CLAMP « Another Warehouse

  2. Pingback: #CLAMP Day – Review: Wish «

  3. Pingback: Chobits « Anime Portfolio

  4. Bem bacana o postagem, não sou fã de Tsubasa e pra mim a sua grande relevância é o CrossOver com xxxHolic, mas sei que muitos gostam e é interessante para quem quer conhecer o Clampverso, apesar de que acho que Clamp in Wonderland cumpre esse papel de forma melhor.

  5. Pingback: #ClampDay: Sakura Cardcaptor e um pequeno relato « Abstrações

  6. TRC é um dos meus bebês, mesmo não sendo o meu preferido >< Foi o primeiro título que li sabendo realmente o que era um mangá, então é bem especial ❤
    Além de criativa, essa ligação com várias outras obras da CLAMP (inclusive xXxHolic, ativa mais ou menos na mesma época) foi um excelente jogo de marketing! Ganhar fãs novos, fãs antigos e fãs na outra nova obra! Só houve um erro em dizer que TRC não tem ligação alguma com Card Captor Sakura… Você leu todo o mangá? o.õ
    Também gostei muito da filosofia "hitsuzen", que Yuuko menciona tantas vezes, tanto em TRC quanto em xXxHolic. Enfim, é uma obra bastante interessante.
    Ótimo post! 😀

    • Olá. Como assim, não li o mangá?! XD Eu disse no início da frase que “a princípio” não havia ligação com CCS. É claro que isso é melhor esclarecido com o andamento da história, principalmente a partir do arco de Toquio.
      Tsubasa também é um dos meus favoritos (inclusive tenho as 3 primeiras edições em japonês do mangá, embora não saiba nada do idioma). No mais, obrigado ela visita e volte sempre! : D

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: